É DESSE JEITO! "Presságios do Desastre ll" (Mensagem+)

                                                 É DESSE JEITO!

                                                   
imagem de uma igreja, simbolizando a igreja iniqua de roma

      O Apóstolo Paulo Declarou que o dia de CRISTO não viria “sem que primeiro venha a apostasia, e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição; o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus, ou objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio DEUS”. Adicionalmente, “o Mistério da Iniquidade já opera”. (2 Tessalonicenses 2:  3, 4, 7). Mesmo naqueles primeiros tempos o apóstolo viu, insinuando-se na igreja, erros que preparariam o caminho para o papado.
      Pouco a pouco, o “Mistério da Iniquidade” levou avante sua obra enganadora. Os costumes do paganismo tiveram ingresso na igreja cristã, embora restringidos durante algum tempo pelas terríveis perseguições que a igreja teve de suportar sob o mesmo paganismo. Cessada a perseguição, o cristianismo pôs de parte a humilde simplicidade de CRISTO, em troca da pompa e orgulho dos sacerdotes e governadores pagãos. A conversão nominal de Constantino causou grande regozijo. Progrediu rapidamente a obra de corrupção. O paganismo, conquanto parecesse suplantado, tornou-se o vencedor. Suas doutrinas e superstições se incorporaram à fé dos professos seguidores de CRISTO. Este compromisso entre o paganismo e o cristianismo resultou no “homem do pecado” predito na profecia. Aquela falsa religião é a obra-prima de Satanás, seu esforço por sentar-se sobre o trono e governar a Terra segundo a sua vontade. 


imagem do chamado por muito s de papa, aqui apresentado em sua real forma: "homem do pecado"               Uma das principais doutrinas do romanismo é que o papa está investido de autoridade suprema sobre bispos e pastores de todo o mundo. Mais que isto, tem-se intitulado o papa de “senhor deus, o papa”, declarando-se que ele é infalível. A mesma pretensão em que insistia Satanás no deserto da tentação, ele ainda a apresenta mediante a igreja de Roma, e é grande o número dos que estão prontos a render-lhe homenagem.
    Mas aqueles que Reverenciam a DEUS enfrentam esta pretensão do modo como CRISTO enfrentou o insidioso adversário: “Ao SENHOR teu DEUS Adorarás, e só a ELE darás culto”. (Lucas 4:8). DEUS Jamais designou algum homem como cabeça da igreja. A supremacia papal se opõe às ESCRITURAS. O papa não pode ter poder algum sobre a Igreja de CRISTO, exceto por usurpação. Os romanistas acusam os protestantes de voluntária separação da verdadeira igreja. São eles, porém, os que se afastaram da “fé que uma vez [...] foi entregue aos santos”. (Judas 3).
imagem da PALAVRA de DEUS acorrentada

       Satanás bem sabia que foi pelas Sagradas Escrituras que o Salvador resistiu a seus ataques. Em cada assalto, CRISTO Apresentou o Escudo da VERDADE, Dizendo: “Está Escrito.” A fim de Satanás manter seu domínio sobre os homens e estabelecer a autoridade do usurpador papal, deveria conservá-los na ignorância das ESCRITURAS. Suas SAGRADAS VERDADES deveriam ser ocultadas e suprimidas. Durante séculos a circulação da BÍBLIA foi proibida pela igreja de Roma. Ao povo foi proibida a sua leitura. Sacerdotes e prelados interpretavam-lhes os ensinos de modo a favorecer suas pretensões. Assim o papa veio a ser quase universalmente reconhecido como o vigário de deus na Terra.                            

 Como foi “modificado” o sábado

imagem de chaves: da sabedoria, misericórdia, associadas ao nome do nosso Blog É DESSE JEITO!      A Profecia Declarara que o papado havia de cuidar em mudar os tempos e a lei”. (Daniel 7:25). A fim de prover um substituto para a adoração dos ídolos, a adoração de imagens e relíquias foi gradualmente introduzida no culto cristão. O decreto de um concílio geral estabeleceu finalmente esta idolatria. Roma se atreveu a eliminar da Lei de DEUS o Segundo mandamento, que proíbe a adoração de imagens, dividindo o Décimo Mandamento a fim de conservar o número deles.
    Líderes não consagrados da igreja tripudiaram também sobre o Quarto Mandamento, pondo de parte o antigo sábado, o Dia que DEUS Abençoara e Santificara (Gênesis 2:2, 3), e em seu lugar exaltaram a festa observada pelos pagãos como “o venerável dia do Sol”. Nos primeiros séculos o Verdadeiro Sábado foi guardado por todos os cristãos, mas Satanás operou a fim de realizar seu objetivo. O domingo foi transformado em festividade em honra da ressurreição de Cristo. Atos religiosos eram nele realizados; era, porém, considerado como dia de recreação, sendo o Sábado ainda observado como Dia Santo.
    Satanás induzira os judeus, antes do Advento de CRISTO, a sobrecarregar o Sábado com as mais rigorosas imposições, tornando-o um fardo. Agora, tirando vantagem da falsa luz sob a qual ele assim fizera com que fosse considerado, lançou o desdém sobre o Sábado, como sendo uma instituição “judaica”. Enquanto os cristãos geralmente prosseguiam observando o domingo como festividade prazenteira, ele os levou, a fim de mostrarem seu ódio ao judaísmo, a fazer do Sábado um dia de tristeza e pesar.        

       O imperador Constantino promulgou um decreto fazendo do domingo uma festividade pública em todo o Império Romano. O dia do sol era reverenciado por seus súditos pagãos e honrado pelos cristãos. Foi instado a fazer isto pelos bispos da igreja. Inspirados pela sede de poder, perceberam que, se o mesmo dia fosse observado tanto por cristãos quanto por pagãos, isto resultaria em maior poder e glória para a igreja. Mas, conquanto muitos cristãos tementes a DEUS fossem gradualmente levados a considerar o domingo como possuindo certo grau de santidade, ainda mantinham o Verdadeiro Sábado e o Observavam em Obediência ao Quarto Mandamento.
Imagem da Lei de DEUS quebrada pelos homens    O arquienganador não havia terminado a sua obra. Estava determinado a exercer o poder por intermédio de seu vigário, o orgulhoso pontífice que pretendia ser o representante de CRISTO. Vastos concílios foram realizados, aos quais concorriam os dignitários da igreja de todo o mundo. Em quase todos os concílios o Sábado era rebaixado um pouco mais, enquanto o domingo era exaltado. Assim, a festividade pagã veio a ser finalmente honrada como instituição divina, enquanto o Sábado Bíblico era declarado como relíquia do judaísmo, amaldiçoando-se a sua Observância.
    O apóstata lograra êxito em exaltar-se “contra tudo que se chama DEUS, ou objeto de culto”. (2 Tessalonicenses 2:4). Ousara Mudar o Único Preceito da Lei Divina que Indica o DEUS Verdadeiro e Vivo. No Quarto Mandamento, DEUS é Apresentado como o CRIADOR. Como Memorial da Obra da Criação, o Sétimo Dia foi Santificado para o repouso do homem, destinado a Conservar o DEUS Vivo sempre diante da mente humana, como Objeto de culto. Satanás se esforça por desviar os homens da obediência à Lei de DEUS; portanto, dirige seus esforços contra o Mandamento que Aponta a DEUS como o CRIADOR. 



    Os protestantes hoje insistem que a Ressurreição de CRISTO no domingo tomou o Sábado cristão. Contudo, nenhuma honra semelhante foi atribuída a este dia por CRISTO ou SEUS Apóstolos. A observância do domingo teve origem no “Mistério da Iniquidade” (2 Tessalonicenses 2:7), o qual, já no tempo de Paulo, começara a sua obra. Que razão pode ser dada para uma mudança que as ESCRITURAS não sancionam?
Imagem do Selo de DEUS representado aqui pelo Número 7, e o do papado 666    No século sexto o bispo de Roma foi declarado como a cabeça de toda a igreja. O paganismo cedera lugar ao papado. O dragão dera à besta “o seu poder, o seu trono e grande autoridade”. (Apocalipse 13:2).
    Começaram assim os 1.260 anos da opressão papal preditos nas Profecias de Daniel e Apocalipse 7:25; Apocalipse 13:5-7. Os cristãos foram obrigados a renunciar sua integridade e aceitar as cerimônias e culto papais, ou passar a vida nas masmorras, ou sofrer a morte. Cumpriam-se assim as PALAVRAS de CRISTO: “E sereis entregues até por vossos pais, irmãos, parentes e amigos; e matarão alguns dentre vós. De todos sereis odiados por causa do Meu nome”. (Lucas 21:16, 17/PALAVRA DE DEUS).
    O mundo se tornou um vasto campo de batalha. Durante séculos a Igreja de CRISTO encontrou refúgio no isolamento e obscuridade. “A mulher, porém, fugiu para o deserto, onde lhe havia Deus preparado lugar para que nele a sustentem durante mil duzentos e sessenta dias”. (Apocalipse 12:6).

                               
Imagens de uma pessoa acorrentada, de modo, que está cega e surda    O acesso da Igreja de Roma ao poder assinalou o início da Idade Escura. A fé foi transferida de CRISTO para o papa de Roma. Em vez de Confiar no FILHO de DEUS para o Perdão dos pecados e para a Salvação Eterna, o povo olhava para o papa e para os sacerdotes a quem ele delegara autoridade. O papa era seu mediador terrestre. Para as pessoas, ele estava em lugar de deus. Esquivar-se de suas exigências era motivo suficiente para que se infligisse ao infrator a mais severa punição. Assim a mente do povo se desviava de DEUS para homens falíveis e cruéis, e ainda mais, para o próprio príncipe das trevas que por meio deles exercia o seu poder. Quando as ESCRITURAS são suprimidas e o homem vem a se considerar supremo, só podemos esperar fraudes, engano e aviltante iniquidade.

     
                                             “Assim Diz o SENHOR”
                                      (Isaías 42: 18/PALAVRA DE DEUS)








                                          É DESSE JEITO! "Presente+"
                                          
    


                                   



   #NovoTempo              

                  * Fiquem com DEUS e se ELE permitir no Próximo Santo Dia, têm +É DESSE JEITO !